ptenfrdeitrues

Foi realizado, em Bruxelas, a reunião anual da Maçonaria Europeia com os Altos Dirigentes da União Europeia

Foi realizado, em Bruxelas, a reunião anual da Maçonaria Europeia com  os Altos Dirigentes da União Europeia nomeadamente José Manuel Barroso (Presidente da Comissão Europeia), Herman Van Rompuy (Presidente do Conselho Europeu), Laszlo Surjan (Vice-Presidente do Parlamento Europeu.
Estiveram presentes Grão Mestres de Portugal, França, Alemanha, Bélgica, Hungria e Grécia. De Portugal esteve presente, Fernando Lima, Grão Mestre do Grande Oriente Lusitano.

ALERTA para o aparecimento de blogues e paginas no FACEBOOK de grupos párias da maçonaria.

As cinco Obediências Maçónicas Grande Oriente Lusitano, Grande Loja Legal de Portugal, Grande Loja Feminina de Portugal, Direito Humano e Grande Loja Simbólica de Portugal do Rito Antigo e Primitivo Memphis Misraim, que representam a Maçonaria Portuguesa, não recrutam pela internet e muito menos pelo FACEBOOK.
Chamamos  a especial atenção para este facto, dado que tem aparecido recentemente inúmeros blogues e paginas que não têm haver com as Obediências Maçónicas credíveis a trabalhar em Portugal.
Aconselhamos a não enviarem dados para estes grupos que se identificam como maçons.
Estamos ao vosso dispor para qualquer esclarecimento adicional: geral@maconariaportugal.com

Comunicado de imprensa do “Sereníssimo Grande Mestre da Grande Loja da Itália” Gian Franco Pilloni - Carta dirigida ao Papa Francisco.

Roma, “Com extrema comoção e infinita alegria, me dirijo a Vós Santidade, para fazer-Vos uma humilde requisição a fim de que se trabalhe para pôr fim às divisões que atingem as relações entre a Igreja Católica e a Maçonaria, com a esperança de que finalmente possa reinar a justa serenidade entre as duas partes, colocando fim às divergências que ainda hoje elevam um muro entre as relações”.
 

Começa com estas palavras a carta enviada pelo Sereníssimo Grande Mestre da Grande Loja da Itália U.m.s.o.i Gian Franco Pilloni a Sua Santidade, o Papa Francisco. Um verdadeiro e próprio pedido de paz e de aceitação, que funda as suas bases sobre valores e princípios comuns às duas realidades.

“[...] não somos um componente adversário da Igreja Católica por Vós Dignamente representada, mas antes, pelo contrário – continua a carta – as nossas estradas são paralelas, de fato, a pensamos como Vós quanto à totalidade dos problemas que afligem a sociedade contemporânea. Como Vós, nós trabalhamos para um mundo de paz e pelo respeito ao ser humano sem distinção alguma e pelo respeito absoluto por todas as religiões”.

A história da diatribe entre Igreja e Maçonaria começa já em 28 de abril de 1738, quando Papa Clemente XII, com a Carta Apostólica In eminente, coloca em guarda os crentes contra a Maçonaria, dai em diante ela foi condenada por diversos Papas em quase 600 documentos.

Em 1983 desaparece do novo Código de Direito Canônico a palavra “excomunhão” contra os maçons. Para silenciar as vozes insistentes por uma grande mudança, em 26 de novembro de 1983, Joseph Ratzinger, o então prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, confirma o juízo da Igreja acerca das associações maçônicas e, logo, a inscrição a elas permanecem proibidas sob pena de exclusão dos sacramentos: “Quem se inscreve na Maçonaria comete pecado mortal e não pode aceder à comunhão. O juízo da Igreja permanece, portanto, inalterado”. Na carta enviada pelo Grande Mestre Gian Franco Pilloni ao Santo Padre, coloca-se o acento propriamente sobre as consequências que este fechamento causou ao longo dos anos.

“A posição que a Igreja teve e ainda tem – explica Gian Franco Pilloni na carta -  penaliza os Irmãos Maçons de Credo Católico, constringindo-os a professar a fé à margem da Igreja e fazendo com que se sintam quase como intrusos ou fiéis pouco desejados”.

Já por ocasião da inauguração da sede romana da Praça Campo Marzio, em setembro de 2012, o Grande Mestre da Grande Loja da Itália U.m.s.o.i tinha buscado desfazer o senso comum ligados ao pensamento corrente sobre a Maçonaria: “Não se trata de um lobby de uma sociedade secreta. A natureza da Maçonaria é humanitária, filosófica e moral. Estimula a tolerância. Pratica a justiça, ajuda aos necessitados, promove o amor ao próximo. A Maçonaria deixa a qualquer um dos seus membros a escolha e a responsabilidade pelas próprias opiniões religiosas e tem uma relação de respeito absoluto para com qualquer religião. É apolítica e impõe aos seus membros os deveres de lealdade cívica. Se tivesse caráter secreto, não teríamos aberto uma sede em Praça Campo Marzio, diante das Instituições”.

O fechamento da Igreja e de grande parte da opinião pública, porém, jamais deixou de existir. “Peço a Vós, Santidade, um esforço para eliminar completamente as intolerâncias agora superadas nas nossas relações, publicamente, aceitando, pois, esta minha súplica a Vós –   conclui o Grande Mestre Gian Franco Pilloni na carta – para transformar os nossos templos em templos para a paz, lugares de encontro, lugares de testemunho, dos mais altos e elevados sentimentos de solidariedade e de fraternidade humana”. Perguntamo-nos agora se Sua Santidade Papa Francisco decidirá responder a esta carta, acolhendo este ramo de Oliveira [ndr: conhecido como símbolo da paz] e colocará “fim” ao eterno confronto entre Igreja e maçonaria. >> FIM DO COMUNICADO.

Maçonaria em Torres Vedras - Portugal

Vão ser apresentados em Conferencia, os  livros da autoria do Professor Doutor Jorge Paulino Pereira, no Edifício dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Torres Vedras.

Irão estar presentes dignitários do Grande Oriente Lusitano e da Grande Loja Simbólica de Portugal.

As apresentações/conferencias serão realizadas nos dias 5, 12, 19(6º-Feira) de Abril de 2013.